Ullr

Ullr

Origem do nome

O nome Ullr no Nórdico Antigo provavelmente é descendente da mesma palavra em Inglês Antigo wuldor e do Gótico wulþus, que significa “glória”. A forma do Proto-Germânico reconstruído é *Wulþuz. O cognato Inglês Antigo wuldor significa “glória”, mas não é usado como um nome próprio, embora ele apareça frequentemente em kenningar para o Deus cristão como wuldres cyning “rei da glória”, wuldorfæder “pai da glória” ou wuldor alwealda “glorioso regulador de tudo/todos” [1, 2].

A palavra do Nórdico medieval foi latinizada como Ollerus. A forma em Islandês Moderno é Ullur. Nos idiomas escandinavos continentais a forma moderna é Ull.

Parentesco

É filho de Sif e enteado de Thor. Não é conhecido quem é o seu pai. A sua mulher é a gigante Skadi, depois que essa se divorciou de Njord.

Atributos

Na mitologia nórdica, Uller é o deus da caça, da justiça, do inverno e da morte, ligado também à magia. Vive em Ydalir (“Bosque dos Teixos”) e é um excelente arqueiro e esquiador.

A Pedra Rúnica de Böksta apresenta esta figura, possivelmente de Ullr

A Pedra Rúnica de Böksta apresenta esta figura, possivelmente de Ullr

História

No paganismo germânico precoce, *Wulþuz parece ter sido um deus principal, ou um epíteto de um deus importante, em tempos pré-históricos. Uma possível referência ao deus, é atestada na ponta de bainha de uma espada do século terceiro, mas fontes islandesas medievais têm apenas o material escasso no Nórdico Antigo Ullr [3].

Ilustração da ponta de bainha de espada de Thorsberg. Unknown - Wimmer, L. F. A. (1887). Die Runenschrift. Berlin: Weidmannsche Buchhandlung, pg. 104.

Ilustração da ponta de bainha de espada de Thorsberg, onde vemos as runas desenhadas. Unknown – Wimmer, L. F. A. (1887). Die Runenschrift. Berlin: Weidmannsche Buchhandlung, pg. 104.

Encontrada na charneca Thorsberg, ostenta uma inscrição rúnica em Elder Futhark, que é uma das mais antigas conhecidas por completo. Ali podemos ler:

owlþuþewaz / niwajmariz

O primeiro elemento é o já mencionado owlþu, por wolþu-, que sabemos significar “glória”, “glorioso”, no Nórdico Antigo simplesmente “Ullr. O segundo elemento, -þewaz, significa “escravo, servo”. O composto inteiro é um nome pessoal ou título, “servo do Glorioso”, “servo/sacerdote de Ullr”. Niwajmariz significa “bem-honrado”.

Uller_by_W._Heine

Em outras fontes da mitologia, conta-se que o deus por algum tempo reinou em Ásgarðr (Asgard) no lugar de Óðinn (Odin), que foi afastado pelos demais deuses em assembleia por conduta ilícita em um romance que teve. Alguns sugerem que foi graças ao estupro de Rind, executado pelo deus, do qual a giganta viria a ter Vali [4]. Mas o reinado de Ullr foi bem curto, durou apenas dez anos; Óðinn expulsou o intruso de Ásgarðr e novamente ocupou o trono. Ullr, então, dirigiu-se para a Suécia e lá conquistou em pouco tempo fama de grande feiticeiro e mágico.

Snorri Sturluson lista Ullr entre os Aesir no Skáldskaparmál, e mais a frente no mesmo texto diz que ele é “Deus do esqui, Deus do arco, Deus da caça, Deus do escudo”, além de se referir a Thor como “parente de Ullr” o que evidencia que, apesar da escassez de registros, Ullr era conhecido; já no Gylfaginning nos diz o seguinte:

Ullr, filho de Sif e enteado de Þórr, é um (Aesir também). Ele é tão bom arqueiro e corredor de esqui que ninguém pode rivalizá-lo. Ele é tão belo de aspecto que ele tem todas as características de um guerreiro. É também bom invocá-lo em duelos“.

Ilustração medieval de Ullr

No Grímnismál encontramos os seguintes versos:

Ýdalir heita

þar er Ullr hefir

sér of görva sali.

(“Ýdalir é o lugar onde Ullr fez para ele um salão“).

E ainda esses:

Ullar hylli

hefr ok allra goða

hverr er tekr fyrstr á funa,

því at opnir heimar

verða of ása sonum,

þá er hefja af hvera.

Ullr e todos os deuses ajudaram quem primeiro olhou para o fogo, para os mundos serem abertos para os filhos dos Æsir quando eles levantaram o caldeirão“. O tradutor da passagem, Márcio A. Moreira, adiciona a seguinte explicação: “Essa passagem parece indicar (embora muito confusa) que os deuses não estavam vendo o sofrimento de Óðinn até que Agnar (ou seus homens?) retirou o caldeirão que estava na frente do fogo abrindo a vista para os deuses“. A passagem é obscura, mas pode se referir a algum tipo de cerimônia, e, pela maneira como refere-se a Ullr, sua importância parece ter certo destaque.

Svá gangi þér, Atli,
sem þú við Gunnar áttir
eiða oft of svarða
ok ár of nefnda,
at sól inni suðrhöllu
ok at Sigtýs bergi,
hölkvi hvílbeðjar
ok at hringi Ullar.

(“Assim seja contigo, Atli! como em direção Gunnar tu realizou os juramentos sempre jurados, que antes eram tomados – ao sol fronteriço do sul (?), e por monte de Sigtý, a cama isolada do resto, e pelo anel de Ullr”). Tais versos da Atlakviða atestam a relação que o deus possuía com a justiça, os juramentos, e assuntos jurídicos (que ainda eram mais informalizados na época).

Na obra de Saxo Grammaticus do século XII Gesta Danorum, o deus aparece euhemerizado (Euhemerismo: teoria que atribui a origem dos deuses à deificação de heróis históricos), Ollerus é descrito como um astuto mago com poderes de transporte mágico:”Assim seja contigo, Atli! como em direção Gunnar tu realizou os juramentos sempre jurados, que antes eram tomados – ao sol fronteriço do sul (?), e por monte de Sigtý, a cama isolada do resto, e pelo anel de Ullr”.

“Fama est, illum adeo praestigiarum usu calluisse, ut ad traicienda maria osse, quod diris carminibus obsignavisset, navigii loco uteretur nec eo segnius quam remigio praeiecta aquarum obstacula superaret” [x].

“A história diz que ele era um astuto mago que ele usou um certo osso, o qual ele tinha marcado com terríveis feitiços, com o qual para cruzava os mares, em vez de um navio; e que, por esse osso ele passou por cima das águas que barravam o caminho dele tão facil como que por remadas”.

Uller_(Earth-616)

Como deus da caça, se sobressai na arte de manobrar o arco e a flecha e na de esquiar. Sua posição na hierarquia é ainda mais obscura do que a de Heimdallr; não há mitos a respeito dele e nos últimos tempos Vikings permaneceu como um deus sem importância. Entretanto, seu nome forma um elemento em certos topônimos escandinavos, essa evidência sugerindo que ele era conhecido e cultuado no sul da Noruega e no centro da Suécia, mas não na Dinamarca. A conclusão geral é que nos tempos Vikings Ullr era uma deidade antiga e já a caminho do esquecimento.


Fontes:
[1] http://www.liquisearch.com/ullr/etymology
[2] http://www.liquisearch.com/ullr
[3] http://www.liquisearch.com/ullr/etymology
[4] http://portal-dos-mitos.blogspot.com.br/2014/11/uller.html
[x] http://www.liquisearch.com/ulle/gesta_danorum