Adolf Hitler e o Paganismo

1996_584796778216688_124411273_n3

Tradução por Sonne Heljarskinn a partir do inglês do post da página “Norse Mythology”, que é de 18/04/2014, mas continua plenamente atual. Infelizmente fãs nazistas de Vikernes e Lusvarghi vão ficar desapontados com a posição do Führer acerca do paganismo/interesse em (reviver) antigas culturas pagãs:

HITLER ODIAVA PAGÃOS

O artigo da CNN de segunda-feira (14/04/2014) sobre os crimes de ódio repugnantes de domingo passado, cita um artigo de 1998 Southern Poverty Law Center afirmando que  o Odinismo “foi uma crença alicerce para os principais líderes do Terceiro Reich, e foi parte integrante dos ritos de iniciação e cosmologia da elite Schutzstaffel (SS), que supervisionou a rede de campos de concentração de Adolf Hitler”. Continue reading “Adolf Hitler e o Paganismo”

Sem lugar para racistas no Valhalla

islamistisk_framtidsvisjon1_large-kopi

Original em inglês por Bjørn Andreas Bull-Hansen.
Tradução: Sonne Heljarskinn

Recentemente, vi um post no Twitter que dizia algo como “Sem negros no Valhalla”. Embora seja fácil sentir pena de pessoas que são ignorantes o suficiente para escrever algo assim, eu também fiquei chateado. Eu sei, há idiotas e haters em todos os lugares, mas a mitologia nórdica está perto do meu coração. Dizer que Valhalla é de alguma forma reservado para pessoas com uma cor de pele específica é para mim igualmente insultante como seria para um cristão se alguém entrasse na igreja local e urinasse sobre a figura de Jesus na cruz. Continue reading “Sem lugar para racistas no Valhalla”

Sobre os recentes enfrentamentos na Ásatrú

Todo mundo anda puto porque a página não fica em cima do muro em relação a nada só pra ser pop. As babaquices do que se chama “politicamente incorreto” (uma postura birrenta e infantil, para não dizer mimada e de apartamento) dominam boa parte da Ásatrú/paganismo nórdico/heathenry, desde sempre. E esse “politicamente incorreto” ama o nazismo, ama o fascismo, é xenófobo, misógino, racista, homo/transfóbico. Ele simplesmente não respeita a liberdade do outro de ser da maneira que quiser. Lhes pergunto, amigos, se um Bjorn amasse um Óláfr, o que mudaria na minha vida em especial? Em contrapartida, no momento que me digo contra isso, tal fato interfere na liberdade deles de forma absurda. Continue reading “Sobre os recentes enfrentamentos na Ásatrú”

Esta é a hora!

Ch_HACSUoAAsONW4

Muitos grupos reivindicam a “autenticidade” do heathenismo, autoproclamando-se, portanto, originais, verdadeiros, únicos capazes de praticar com dignidade, ou mesmo veracidade, o paganismo germânico. Segundo tal lógica, todos os outros grupos e indivíduos são falsos, incapazes racial e espiritualmente de praticar os ritos aos deuses, ancestrais e vaettir, desde os mais simples até os mais complexos.

Mas será isso verdade? Continue reading “Esta é a hora!”

Paganismo nórdico e o racismo brasileiro

2012_011832_750px_2

Sonne Heljarskinn

Busco manter, sempre que possível, uma distância da política quando falo abertamente e para leigos sobre a Ásatrú, isto é, a fé nos deuses do Norte Europeu. Tal cuidado é por respeito ao interlocutor e para evitar possuir um discurso sectário e viciante. Continue reading “Paganismo nórdico e o racismo brasileiro”

Do Antigo Caminho. Parte I

asatru-odinismo

Texto de Bölverkrsohn HS.

Experienciar a fé nos deuses do Norte não é fácil, em especial no Brasil. Neste texto e nos que se seguirão tentaremos fazer uma breve análise, talvez ainda superficial, da conjuntura do paganismo nórdico no país. Continue reading “Do Antigo Caminho. Parte I”

“Pureza Racial” na Ásatrú

Como o NORSKK define a si mesmo:
Como o NORSKK define a si mesmo: “Somos uma irmandade Víkingar dos dias modernos vivendo nas tradições ancestrais nórdicas pré-cristianização, incluindo o Víkinga Code: coragem, honra, força, fraternidade, lealdade, integridade, Disciplina, Determinação, Simplicidade. Compartilhamos nossas tradições ancestrais, nossas habilidades e nossa sabedoria para torná-lo um verdadeiro Víkingr, ou podemos usá-las para garantir sua sobrevivência em ambientes agressivos ou hostis”.

“Pureza racial”, um conceito ao qual aderiram os grupos folkish, não faz parte da Ásatrú, nossa história, cultura, ou tradições. Continue reading ““Pureza Racial” na Ásatrú”