O paganismo e o preconceito, II

Por Andreia Marques

Publicado originalmente em Heathen Brasil

 No post anterior, eu falei extensivamente do risco que pagãos das diversas vertentes correm, devido a associações com uma visão “popular” do satanismo, da bruxaria e da macumba. Hoje, falemos sobre outro assunto, que é a pura falta de reconhecimento da própria existência de nossos deuses, enquanto deuses, ou de respeito pelo culto a eles. Continue a ler “O paganismo e o preconceito, II”

Heathenry, Ásatrú, Odinismo: sobre os nomes de caminhos no paganismo nórdico/germânico

Por Seaxdēor, revisão de Dannyel de Castro

No dia 7 de dezembro mudamos oficialmente o nome de nosso projeto de Ásatrú & Liberdade para Heathenry & Liberdade, uma transição que durará algum tempo para se completar. Isso levantou a questão de que todos os vários nomes como Ásatrú,  Heathenry, Odinismo, seriam a mesma coisa? Não são todos a continuação da religião dos nórdicos? Na verdade, não exatamente. Vamos dar uma olhada nesses nomes, suas origens e significados, e entender porque a distinção é necessária. Continue a ler “Heathenry, Ásatrú, Odinismo: sobre os nomes de caminhos no paganismo nórdico/germânico”

Guerra de egos: a ruína da Ásatrú e de todo o paganismo germânico no Brasil

Por Seaxdēor

O paganismo germânico é uma religião que morreu. Existem pelo menos mil anos entre a última forma de paganismo de povos germânicos e a primeira tentativa de trazê-lo novamente à vida. Não existem tradições milenares intactas. E assim começamos nossa conversa. Continue a ler “Guerra de egos: a ruína da Ásatrú e de todo o paganismo germânico no Brasil”

O heathen e a anomia

Por Andreia Marques
Publicado originalmente em Heathen Brasil

Entre os pagãos que eu conheço (e sim, estou ciente da generalização e da limitação da população observadas), torna-se bastante clara a tendência de um desejo por uma vida mais simples. Essa simplicidade geralmente é ligada à vontade por um retorno à natureza, à vida do campo, à relação com o mundo natural e com um estado menos complexo e urbanizado de existência. Continue a ler “O heathen e a anomia”

A deficiência física e o heathenismo

Certa vez me perguntaram como eu, a autora, conciliava minha fé (nos deuses, ancestrais, vættir, o que for) e minha condição de deficiente física. Se eu não tinha raiva desse seres “permitirem” que eu fosse assim, etc.. Minha resposta, à época, é que simplesmente não há conflito: enquanto pagã e heathen, eu não espero um milagre, salvação, ou algo do gênero, e sentir raiva da … Continue a ler A deficiência física e o heathenismo

O debate estranhamente revelador sobre um bordado da Era Viking

Uma descoberta arqueológica levantou questões sobre a influência dos muçulmanos sobre a Europa.

Publicado em The Atlantic. Tradução de Seaxdeor.

Uma pesquisadora de uma universidade sueca diz que as roupas de enterro nórdicas têm a palavra “Allah” e algumas pessoas realmente querem acreditar nela. Continue a ler “O debate estranhamente revelador sobre um bordado da Era Viking”

Runas: uma abordagem reconstrucionista

Atenção: esse atigo usa vários caracteres especiais que podem não ser reconhecidos no Android ou computadores. Se esse for seu caso, tente a versão em PDF.

Por Seaxdēor

Na edição anterior da revista Heathen Brasil foi-me sugerido fazer algo como que uma sessão exclusiva para falar sobre uma runa a cada número. Apesar de agradecer a sugestão, sou obrigado a declinar, mas não por desconsideração, e sim pelo papel que as runas têm na minha prática. Continue a ler “Runas: uma abordagem reconstrucionista”