Heathenry, Ásatrú, Odinismo: sobre os nomes de caminhos no paganismo nórdico/germânico

Por Seaxdēor, revisão de Dannyel de Castro

No dia 7 de dezembro mudamos oficialmente o nome de nosso projeto de Ásatrú & Liberdade para Heathenry & Liberdade, uma transição que durará algum tempo para se completar. Isso levantou a questão de que todos os vários nomes como Ásatrú,  Heathenry, Odinismo, seriam a mesma coisa? Não são todos a continuação da religião dos nórdicos? Na verdade, não exatamente. Vamos dar uma olhada nesses nomes, suas origens e significados, e entender porque a distinção é necessária. Continue a ler “Heathenry, Ásatrú, Odinismo: sobre os nomes de caminhos no paganismo nórdico/germânico”

Guerra de egos: a ruína da Ásatrú e de todo o paganismo germânico no Brasil

Por Seaxdēor

O paganismo germânico é uma religião que morreu. Existem pelo menos mil anos entre a última forma de paganismo de povos germânicos e a primeira tentativa de trazê-lo novamente à vida. Não existem tradições milenares intactas. E assim começamos nossa conversa. Continue a ler “Guerra de egos: a ruína da Ásatrú e de todo o paganismo germânico no Brasil”

A deficiência física e o heathenismo

Certa vez me perguntaram como eu, a autora, conciliava minha fé (nos deuses, ancestrais, vættir, o que for) e minha condição de deficiente física. Se eu não tinha raiva desse seres “permitirem” que eu fosse assim, etc.. Minha resposta, à época, é que simplesmente não há conflito: enquanto pagã e heathen, eu não espero um milagre, salvação, ou algo do gênero, e sentir raiva da … Continue a ler A deficiência física e o heathenismo

Honra: “Não acho que a palavra significa o que você pensa que significa”

 

Por Christopher Scott Thompson
Publicado originalmente em Gods and Radicals 

Tradução de Gabriel O Dughghaill

O tema da “honra” é de interesse para alguns heathens e pagãos, especialmente aqueles que se vêem num “caminho de guerreiro”. Continue a ler “Honra: “Não acho que a palavra significa o que você pensa que significa””

Honest cheesemongering (or the perils of shopping for knowledge).

Written by Einar V. Bj. Maack skáld of Hvergelmir International

Today’s society is far different from what it was a millennium ago, a century ago or even just a couple of decades ago.

The free flow of information has made it easier for us all to share our thoughts and knowledge at the flick of a finger. Continue a ler “Honest cheesemongering (or the perils of shopping for knowledge).”

Adolf Hitler e o Paganismo

1996_584796778216688_124411273_n3

Tradução por Sonne Heljarskinn a partir do inglês do post da página “Norse Mythology”, que é de 18/04/2014, mas continua plenamente atual. Infelizmente fãs nazistas de Vikernes e Lusvarghi vão ficar desapontados com a posição do Führer acerca do paganismo/interesse em (reviver) antigas culturas pagãs:

HITLER ODIAVA PAGÃOS

O artigo da CNN de segunda-feira (14/04/2014) sobre os crimes de ódio repugnantes de domingo passado, cita um artigo de 1998 Southern Poverty Law Center afirmando que  o Odinismo “foi uma crença alicerce para os principais líderes do Terceiro Reich, e foi parte integrante dos ritos de iniciação e cosmologia da elite Schutzstaffel (SS), que supervisionou a rede de campos de concentração de Adolf Hitler”. Continue a ler “Adolf Hitler e o Paganismo”

Sobre os recentes enfrentamentos na Ásatrú

Todo mundo anda puto porque a página não fica em cima do muro em relação a nada só pra ser pop. As babaquices do que se chama “politicamente incorreto” (uma postura birrenta e infantil, para não dizer mimada e de apartamento) dominam boa parte da Ásatrú/paganismo nórdico/heathenry, desde sempre. E esse “politicamente incorreto” ama o nazismo, ama o fascismo, é xenófobo, misógino, racista, homo/transfóbico. Ele simplesmente não respeita a liberdade do outro de ser da maneira que quiser. Lhes pergunto, amigos, se um Bjorn amasse um Óláfr, o que mudaria na minha vida em especial? Em contrapartida, no momento que me digo contra isso, tal fato interfere na liberdade deles de forma absurda. Continue a ler “Sobre os recentes enfrentamentos na Ásatrú”