Cosmologia nórdica: Nove mundos? — Uma reflexão

Por Seaxdēor Comumente temos a ideia de que as Eddas retratam fielmente a maneira que os povos tribais germânicos em geral viam a realidade, o que não é o caso, sempre. Diferentemente de outros povos letrados, os quais preservavam um conjunto de mitos de maneira razoavelmente intacta através do tempo, todas as histórias e explicações coletivas da realidade dos povos germânicos são bastante ligadas a … Continue a ler Cosmologia nórdica: Nove mundos? — Uma reflexão

Animismo na Heathenry

Publicado originalmente em Heathen Hearth.

Tradução para o português por Sonne Heljarskinn.

“E proibimos fervorosamente todo paganismo: o paganismo é que os homens adoram ídolos; Ou seja, adoram deuses pagãos, e a Sol ou o Lua, fogo ou rios, fontes de água ou pedras, ou árvores da floresta de qualquer espécie … ”
As Leis do Rei Cnut.

A filosofia animista tornou-se influente no movimento neo-pagão através da influência combinada das ideias do ativismo ambiental sobre a interconexão de todas as partes da biosfera e da pesquisa antropológica e histórica em ambas as tradições pré-cristãs que o Continue a ler “Animismo na Heathenry”

Uma reflexão sobre Freyja

freyjaaaa.jpg
Demorei muito para escrever sobre Freyja pois o texto não poderia ser curto. Uma análise sobre a Senhora (tradução literal de seu nome) é algo perigoso. Freyja é uma deusa muito popular e superficialmente muito conhecida. Mas ela é uma estrela estereotipada. Não vou aqui simplesmente mencionar nomes e objetos desta deusa – isso você encontra facilmente na Wikipédia ou em qualquer página meia-boca sobre mitologia. Sua importância provavelmente reflete o fato de que apenas um nome indireto tenha chegado dela para nós – é bem possível que ela fosse chamada por outro nome, mas a forma respeitosa “Senhora” tenha se mantido por ser mais popular que chamá-la por seu nome real.

Continue a ler “Uma reflexão sobre Freyja”

Pequenas reflexões sobre a Völva, o conhecimento, e o papel da mulher no heathenismo

14695302_554476844747559_5818401500287770855_n

Texto por Sonne Heljarskinn
Postado originalmente em facebook

As völvas são mulheres que nas tribos nórdicas desenvolviam funções *semelhantes* mas não idênticas às dos xamãs. Elas tinham a liberdade de viajar e fazer oráculos, sendo bem recebidas e gratificadas por seu saber. Ainda assim, não nos interessa falar das völvas em geral aqui, mas de uma em particular, tamanha a sua importância: aquela que Óðinn foi buscar no mundo dos mortos, em sua sede de conhecimento. Continue a ler “Pequenas reflexões sobre a Völva, o conhecimento, e o papel da mulher no heathenismo”

Þórr e Jormungand: uma reflexão

11891110_411840319011213_1216194224985863030_n

Texto por Sonne Heljarskinn
Originalmente postado no facebook

O mito da intriga entre Þórr [Thor], o Vermelho, e Jormungand e suas batalhas frequentes nos transporta àquele mundo da vasta sabedoria não-escrita dos povos do Norte.

O Campeão dos Deuses, filho da Terra e do Furor, criado por Aquela que Tece as Nuvens, é o Trovão; aquele que marcha sempre contra a serpente que dá a volta na Terra-do-Meio, embora não a destrua. Continue a ler “Þórr e Jormungand: uma reflexão”

Primeiro Ensaio sobre a Simbologia de Hel

13000369_481738808688030_475563245879690930_n

Por Sonne Heljarskinn
Publicado originalmente em 14 de abril de 2016, no facebook.

Hel é uma poderosa figura na mitologia nórdica, o que provavelmente reflete sua importância no imaginário popular. Em contrapartida ela possui muito poucas menções nos textos que chegaram até nós. Apesar disso, desenvolve um papel fundamental em toda a mitologia, especificamente em seu envolvimento nos trechos que relatam a morte de Balder. Continue a ler “Primeiro Ensaio sobre a Simbologia de Hel”

Yggdrasil – Os Nove Mundos da Tradição Nórdica

Texto por Ravn
Publicado originalmente em Platinorum.

Parte I

A Tradição Nórdica interpreta o Universo na forma da “Árvore do Mundo”, com os Mundos da existência dispostos em seu tronco, raízes e galhos; chamada de “Yggdrasill”, seu nome significa “Cavalo de Ygg” – uma referência ao deus Óðinn (que possui muitos nomes, sendo “Ygg” um deles) e sua autoimolação na Árvore, obtendo o conhecimento das runas e da magia no processo. Em nossa exploração da Magia Nórdica, começaremos entendo sua cosmogonia tanto do ponto de vista da mitologia quanto magístico. Continue a ler “Yggdrasil – Os Nove Mundos da Tradição Nórdica”