Skoll e Hati

tumblr_mpku2sRTOW1swfs7to1_1280

Pelos nove mundos se sabia já o que aconteceria. Havia três longos anos de frio que nenhuma vez Sól tinha conseguido dominar uma estação, de tanto que fugia. Máni, o deus Lua, também não conseguia mais refletir da mesma forma o seu brilho, que ficava preso durante as noites entre as pesadas nuvens geladas tecidas por Frigg e a forte fúria da neve vinda das montanhas de Skaði. Igualmente Máni fugia atemorizado, como que se pudesse mudar o seu wyrd. Mas, quem os assustava, os tão belos deuses-irmãos que eram a própria Sol e o Lua?

Ninguém menos que dois lobos ferozes, audazes e gigantescos, dois irmãos caninos sedentos que caçavam os deuses-astros há incontáveis eras: Sköll e Hati.

Sunna e Máni, do alto de sua soberba, sabiam de sua importância: mas a deusa brilhante preferia ficar junto ao Mar, e por vezes deixava planícies inteiras desertas com sua despreocupada maneira de passar o tempo. Máni gostava de ficar pelas florestas a vagar. Ninguém sabia quando era dia ou noite; foram oferecidos tesouros e joias a Sunna e Máni, mas eles, orgulhosamente, achavam-se mais importantes que elas e não temiam ameaças de outros deuses – pois conheciam a própria importância no cosmo… e a partir daí existem duas versões da história:

A primeira diz que Surtr possuía uma poderosa joia a qual Loki invejava. Sól (outro nome de Sunna) andava lá perto dos vulcões de Musspell sempre e os gigantes de fogo mantinham-se sempre alerta – impedindo Loki de fazer qualquer ataque. Era preciso, então, tirar Sól dali. Ao ver dois lobos perseguindo um cervo na floresta, Loki não hesitou em procurar por lobos gigantes em Járnvid, a floresta de ferro em Jotunheim, e dotá-los com a capacidade de voar, persuadindo-os a seguir Sunna e Máni.

A outra diz que após a prisão do lobo Fenrir, Sköll e Hati insistiam em proteger, acompanhar e tentar libertar o mais assustador dos filhos de Loki. Os Aesir, ou, mais propriamente, Odin, para evitar que Fenrir fosse solto, terminou por aproveitar a lassidão de Sól e Lua e fez com que Sköll seguisse a deusa e Hati o seu irmão.

Seja como for: Sól e Máni poderiam ter aproveitado melhor, mas condenaram a si mesmos. Durante o dia Sköll passava correndo atrás da deusa, e ela tinha de fugir rapidamente… Logo atrás dela vinha Máni, com Hati atrás de si, numa caçada quase sem fim. Por vezes os lobos se aproximavam tanto que quase engoliam os deuses: e aí tinha-se o que chamamos de eclipse.

Sköll e Hati são retratados como filhos de Angrboða, que, por suas proles aterrorizantes, era aparentemente também tida como uma deusa do medo. Sköll significava “Traição” e Hati “Ódio”. De Hati também se diz que é Hróðvitnisson, “filho do lobo famoso” e Managarm “cão da lua”. Sugere-se em algumas fontes que Hati seria filho de Fenrir, e como Sköll seria seu irmão, ambos seriam então fruto de uma relação incestuosa com a Jotun mãe de Fenrir.

Após longas eras, aconteceria o Fimbulvetr, o grande inverno, e as Nornir já não conseguiriam mais remediar o estrago feito por Níðhöggr nas raízes do Freixo do Universo, Yggdrasil. Balder já estava nos domínios de Hel e Loki há muito já agonizava sob o veneno da serpente que se derramava sobre si, preso a uma rocha.

Com o dois lobos conseguindo devorar os deuses-astro diz-se que quebrariam a maldição que foi posta sobre si; por outro lado isso seria o suficiente para que Fenrir se soltasse e procurasse sua vingança: iniciando assim o Ragnarök.

{Black Berserker}