Óðinn

Odin

Origens do nome

A raíz Proto-Indo-Europeia da palavra é *wet-, que significa “blow” (“vento” ou “golpe”), “inspiração”, “despertar espiritual”, “excitação espiritual”. Dando assim origem aos termos *wod-eno-, *wod-ono-: “furioso”, “louco”, “inspirado”. A forma da qual derivam os equivalentes nas línguas germânicas é o Proto-Germânico *Wōdanaz, derivada do termo *wōþuz: “raiva”, “inspiração frenética”, “furor poético”, que foi levado ao Alto-Alemão Antigo como Wuotan. No Islandês e Nórdico Antigo Oðinn, Dinamarquês Odin ou Odine, Feroês Óðin, Sueco Odin ou Oden, Norueguês Odine, Odin ou  Odhinn, Anglo-Saxão e Inglês Woden, alemão Wotan. Foi latinizado como Othinus. Compare com o nórdico antigo óðr (s. “mente”, “espírito”; “canção”, “poesia”; adj. “louco”, “furioso”, “violento”) e os termos woede (raiva) e woeden (enraivecer-se) do holandês [1, 2, 3 e 4].

Compare ainda a palavra Godan (Lombárdico, Gótico) com Wotan e o Proto-Germânico *ǥuđánaz com *WōdanazAmbas as formas parecem ter influenciado as palavras modernas para deus nas línguas germânicas como o Dinamarquês (gud), Islandês (Guð), Inglês (god), e o alemão (Gott) [5]. Parece ligar-se indiretamente ao termo latino vātes (viajante, profeta, poeta) [6], e ao Proto-Germânico *fadēr (Proto-Indo-Europeu *ph₂tḗr) que dá origem à palavras para “pai” nas línguas atuais como o Inglês (father) e alemão (Vater) [7].

11249024_391487464379832_3226012124189088670_n

Parentesco

Odin é o líder do clã dos deuses Aesir. É filho Borr e Bestla, dois dos gigantes mais antigos e menos conhecidos da tradição. Irmão de Vili e Ve. É oficialmente casado ou tem por primeira com Frigga, com quem teve Hermodr, Hödr e Baldr por filhos, mas mesmo Thor (e sua irmã Meili) são frutos de outra relação, com a giganta Jörd. Vidar (que o substituirá após sua morte no Ragnarök) é filho de Odin com Grídr, com Rind teve Vali, e com Gunnlod de Hnitbjörg, portadora de Odroerir (Óðrœrir — algo como “agitador frenético”), o vaso do Hidromel, teve Bragi, deus da poesia [8]. Possui uma relação extra-conjugal com a deusa Freyja. Segundo a arte de Wagner, Wotan (o equivalente alemão de Odin) é ainda pai das Valkyrjor e das Nornir com Erda.

Atributos

É o deus da sabedoria, da guerra e da morte, embora também, da magia, da iluminação, da poesia, da profecia, da vitória e da caça. Na mitologia nórdica é chamado com frequência de Alföðr Óðinn (Odin, Pai de Todos), por ter criado vários seres e, junto de Vili e Ve, dar a forma aos nove mundos e ao universo a partir dos restos mortais do derrotado gigante primordial chamado Ymir, criando também a humanidade, segundo os mitos, a partir de dois pedaços de tronco encontrados à beira de uma praia em Midgard (como é chamada a Terra na mitologia).

Possui dois corvos Huginn (pensamento) e Muninn (memória), que viajam pelos nove mundos para trazer-lhe informações, dois lobos, Geri e Freki (ambos os nomes significam “o guloso” ou “o voraz”), e o cavalo de oito patas Sleipnir (“suave” ou “aquele que plana no ar”), filho de Loki e Svadilfari (cavalo com o qual se construiu o muro de Asgard), e seu poderoso trono chama-se Hlidskialf (Hliðskjálf — de Hlid “lateral”, “portão”; ou de hlifd: “proteção” + skjalf: plataforma, assento, plano), localizando-se no palácio de Valaskjálf, no qual Odin poderia observar o que acontecia nos nove mundos [9]. Sua lança chama-se Gungnir (esta que o ligava intimamente à cultura dos germanos, pois “geer” significa lança, e a própria palavra “germanus” significa então homem com lança, guerreiro). Nela Odin marcava simbolicamente seus pactos.

Atribui-se a Odin a descoberta das runas, após passar nove dias e nove noites preso por sua lança a uma árvore (sugere-se que seja Yggdrasil). Também, como deus da guerra, era responsável por escolher os mortos ou enviar as Valkyrjor aos campos de batalha para escolher entre esses os que iriam ao seu palácio em Asgaard, Valhalla, fazer parte do exército dos Einherjar, o qual lutaria consigo na batalha final, o Ragnarök.

História

Apesar de na atualidade ser um deus amplamente conhecido por vias externas aos rituais religiosos (indústria cinematográfica, alguns desenhos animados, literatura e ficção em geral), durante a vigência do paganismo na região do norte europeu ele era mais estritamente ligado à classe nobre (que em geral se declarava descendente direta do deus), enquanto a população em geral estava mais próxima de deuses ligados a aspectos climáticos e fertilidade, como Thor e Frey, por exemplo.

In the Skjöldunga saga and the Ynglinga saga, Odin came from Asia and conquered Northern Europe. He gave Sweden to his son Yngvi and Denmark to his son Skjöldr. Since then the kings of Sweden were called Ynglings and those of Denmark Skjöldungs.

Tem a quarta-feira (Mittwoch, Wednesday) como dia da semana dedicado a si.

ragnarok_by_nicholaskay-d69tcgg

Seu final, em Ragnarök, é descrito como vingança de Fenrir (lobo gigante filho de Loki), que volta na conflagração final para vingar-se de sua prisão pelos deuses.


Fonte:
[1] https://en.wiktionary.org/wiki/Odin
[2] http://www.etymonline.com/index.php?term=odin
[3] https://en.wiktionary.org/wiki/%C3%B3%C3%B0r#Old_Norse
[4] http://www.nordicnames.de/wiki/%C3%93%C3%B0inn
[5] https://en.wikipedia.org/wiki/God_(word)
[6] https://fr.wiktionary.org/wiki/vates#la
[7] https://en.wiktionary.org/wiki/father
[8] MOREIRA, Márcio Alessandro A. A Genealogia dos Deuses Nórdicos (através das fontes antigas).
[9] http://translation.babylon.com/english/hlidskjalf/
[x] http://www.umich.edu/~umfandsf/symbolismproject/symbolism.html/Teutonic_Mythology/wstm1.html
[x] https://thelettuceman.wordpress.com/2015/05/16/woden-vs-odin-differences/