Mjöllnir, o Martelo de Thor

Postado originalmente em The Ealdríce Théodish Fellowship.
Por Thorbert Línleáh.
Tradução de Sonne Valur (Heljarskinn)

Observação: Þunor é o nome anglo-saxão do deus Thor. Este texto trabalha paralelos entre os povos “irmãos” anglo-saxões e nórdicos e o significado do martelo deste deus entre eles, mas com enfoque nos anglo-saxões.

Martelo de Þunor
thorshammerkent2

O martelo de Þunor (ON: Þórr), conhecido em anglo-saxão como o Þunreslecg (marreta [sledge] de Þunor), é talvez o símbolo mais reconhecido em todo o paganismo germânico [Heathendom] moderno. Com seu martelo dourado, Þunor protege o céu e a terra, deuses e homens, da destruição negra de gigantes e forças caóticas que de outra forma as ultrapassariam. Além disso, é pela magia de seu martelo que Þunor renova a vitalidade dos campos e, até mesmo, restaura a vida aos mortos.

Nos antigos tempos pagãos, os úteros das noivas foram abençoados com o ato de colocar um martelo sagrado em seus colos, para que fossem tornadas férteis e logo preenchidas. Do mesmo modo, assim como o sinal do martelo foi feito para produzir a vida, então foi invocado novamente na conclusão da vida. No rito funerário, o sinal do martelo foi feito para consagrar a pira. E, na santa festa, foi o sinal do martelo que foi feito sobre a carne e a bebida, para que fossem consagrados e, assim, apropriados para a comunhão do povo e dos deuses.

Um símbolo de proteção, fertilidade, morte e consagração, o martelo de Þunor incorporou o poder e a mæġen dos Ése (deuses) e sua tréow (aliança). É por esta razão que os amuletos pequenos, trabalhados na forma do martelo de Þunor, foram usados na antiga era pagã [Heathen].

Embora frequentemente pensado como surgindo durante a Era Viking (final do século VIII), o amuleto de martelo mais antigo foi encontrado durante a escavação de uma sepultura de jutos em Ash Gilton, Kent, no século XVIII, pelo antiquário Bryan Faussett. Datada ao século VI (o auge do paganismo anglo-saxão), este amuleto de martelo de bronze mostra que, apesar de mais comum durante a Era Viking, este símbolo de Þunor foi realmente usado pelos pagãos anglo-saxões também.

Embora seja comum acreditar que os nórdicos foram levados a usar o martelo em reação aos cristãos carregando a cruz, símbolos similares foram usados por pagãos germânicos muito antes do cristianismo tornar-se uma ameaça cultural e religiosa para os germânicos. A partir dos séculos II e III, os amuletos que representam a maça de Hércules, um deus frequentemente associado com Þunor através da interpretatio Romana, eram usados por soldados romanos. Assim como as unidades auxiliares germânicas que servem no exército romano implementaram sua própria versão da semana romana de sete dias, o amuleto de maça logo foi adotado também. No século V, essas “Maças de Donar” foram contadas entre os espólios sepulcrais dos alemanni germânicos. Conforme observado por Christopher Abram em Myths of the Pagan North:

O emblema de Hércules era uma maça, e os amuletos que representam essa arma sobrevivem provindos dos séculos II e III do outro lado do Império Romano. É notável que Thor também se caracteriza pelo uso de uma arma sem corte, no caso dele, o martelo. Os historiadores propuseram que o culto de Hércules espalhou-se por toda a Europa durante as migrações germânicas nos séculos V e VI, e que a maça era um precursor do martelo de Thor, as duas figuras gradualmente se transformando em um deus único. Entre os alemães de Tácito, Hércules aparentemente também estava relacionado à guerra: na mitologia nórdica, Thor muitas vezes desempenha o papel de deus guerreiro, embora fosse Odin o principal deus da guerra na Escandinávia, a quem as pessoas procuravam para o sucesso em batalha.

Com raízes que lançam-se profundamente, o martelo de Þunor é agora, como era nos tempos de outrora, um símbolo da religião pagã anglo-saxã. Que Þunor possa santificar, pode Þunor proteger, e que seu sagrado martelo sempre nos lembre da plenitude de nossa fé.

 

Galeria de registros arqueológicos de Mjollnir na Escandinávia e Inglaterra (Adicionada pelo tradutor):

torshammare_av_silver_fr_lc3a4by2c_uppland_28montelius_1877_sid_348_fig_40429

 

Martelo de Thor de Läby:
Um amuleto em prata representando um martelo de Thor pendurado em um anel. Este martelo foi encontrado na paróquia de Läby, perto de Uppsala, Uppland, Suécia.

torshammare_av_jc3a4rn_fr_sc3b6dermanland_28montelius2c_solgudens_yxa_28189929_fig_2129

 

Martelo de Thor de Södermanland:
Martelo de Thor de ferro de Södermanland, Suécia.

ed359c3b7176db96244f301b8823fa0e-medieval-jewelry-viking-jewelry

Martelo de Thor de Ödeshög:
Martelo de Thor em ouro e prata de Erikstorp, paróquia de Ödeshög, município de Ödeshög, Östergötland, Suécia.

 

27371d4f6068feb41987c384f1e8902e-norse-religion-norse-symbols

 

Martelo de Thor de Bredsättra:
Um pingente de prata Mjolnir banhado a ouro de 4,6 cm da paróquia de Bredsättra, Runsten hundred, município de Borgholm, Öland, condado de Kalmar, Suécia.

 

torshammare_fr_moheda_sn2c_smc3a5land_28kvhoa_akademiens_mc3a5nadsblad_1875_s033_fig829_inv501

Martelo de Thor de Moheda:
Paróquia de Moheda, Småland, Suécia.

 

amulet_thor27s_hammer_28copy_of_find_from_skc3a5ne29_2010-07-10

Martelo de Thor de Skåne:
O martelo na imagem é uma cópia comercial de uma descoberta arqueológica da Skåne, na Suécia. O martelo original é de prata com ornamentação filigrana e foi encontrado em um lugar desconhecido em Skåne e pertencia a um coleção de propriedade do barão Claes Kurck, mas foi doado ao Museu Histórico de Estocolmo no ano de 1895. Fontes não confiáveis dizem que o martelo foi encontrado em Kabbarp, perto de Staffanstorp, em Skåne, na Suécia.

 

torshammare_i_silver_fr_sandby_kyrkogc3a5rd2c_torna_hd2c_skc3a5ne_28antiqvitets_akademiens_mc3a5nadsblad_1882_s10329

Martelo de Thor de Sandby:
Paróquia de Sandby, Torna hundred, Skåne, Suécia.

 

mjolnirthorsexcav16

Martelo de Thor da Dinamarca:
Nesta peça lê-se, em runas “Hmar x is”, ou “Isto é um martelo”.

 

torshammare_av_silver_fr_skc3a5ne_28montelius_1873_sid_107_fig_9329

Martelo de Thor de Raus:
Martelo de Thor em prata encontrado em Pålstorp, paróquia de Raus, Luggude hundred, Helsingborg, Skåne, Suécia.

 

torshammare_av_silver_fr_gc3a4rsnc3a4s_sc3a4teri2c_c396_herrestads_sn2c_skc3a5ne_28kvhoa_akademiens_mc3a5nadsblad_1872_s052_fig2629_inv116

Martelo de Thor de Gärsnäs:
Gärsnäs säteri, paróquia de Östra Herrestad, Skåne, Suécia.

 

torshammare_av_silver_fr_slottsmc3b6llan2c_halmstad2c_halland_28kvhoa_akademiens_mc3a5nadsblad_1872_s052_fig2729_inv1603

O martelo de Thor de Slottsmöllan:
Slottsmöllan, Halmstad, Halland, Suécia.

 

amulet_thor27s_hammer_28copy_of_find_from_rc3b8mersdal2c_bornholm29_3352

Martelo de Thor de Rømersdal:
Cópia de Martelo de Thor encontrado em Rømersdal, Bornholm, Dinamarca.

 

thors_hammer_from_mandemark_mon_original_find

Martelo de Thor de Mandemark:
Amuleto na forma de um martelo de Thor encontrado em 1874, em Mandemark, Møn, Dinamarca.

 

thor27s_hammer2c_fitjar

Thor’s martelo de Fitjar:
Um martelo em forma de amuleto de prata, encontrado em Fitjar, Hordaland, Noruega.

 

vargkors_kopia

A Cruz do Lobo de Foss:
A Cruz do Lobo é um pendente de prata do período Viking encontrado em Foss na Islândia. Poderia ser interpretado tanto como uma cruz cristã como como um martelo de Thor.

DNLNC-4WsAA1qn6

Martelo de Thor de ouro de origem escandinava, encontrado próximo a Spilsby, Lincolnshire na Inglaterra.

Referências:

Christopher Abram,  Myths of the Pagan North, Continuum International Publishing Group, 2011

C.R. Smith, Inventorium Sepulchrale: An Account of some Antiquities dug up at Gilton, Kingston, Sibertswold, Barfriston, Beakesbourne, Chatham, and Crundale, in the County of Kent from AD 1757 to AD 1773 by the Rev. Bryan Faussett (London, 1856)

Joachim Werner: Herkuleskeulen und Donar-Amulett in: Jahrbuch des Römisch-Germanischen Zentralmuseums. Mainz 11, 1964, S. 176 ff.

Eric Wodening, Þunorhttp://www.englatheod.org/thunor.htm