Frigg

Frigga

Origem do nome

Frigg no Nórdico Antigo deriva do Proto-Germânico *frijjo ou *frijaz, Proto-Indo-Europeu *priy-a- (“Bem Amada”, “Esposa”) [1] — também Frigga, Frick, Fri, Frija (Alto-Alemão Antigo), Frea (Longobárdico), e Frige (Inglês Antigo).

Parentesco

Frigg é filha de Fjörgynn/Fjörgvinn (“Terra” ou “Montanha”) ou, segundo outras variantes é filha de Týr, mas a sua mãe é Jörð, a Mãe Terra e irmã de Fulla; vem da linhagem dos Aesir, sendo a principal das deusas de Asgaard, as Ásynjur, e vive na casa Fensal, que fica num pântano em Asgard. Seu marido é Odin, com o qual ela deu à luz Balder, Hödur, Hermor, e as Valquírias.

História

As servas de Frigg chamam-se Gna, Fulla, Sygn, Vara, Eira, Hlin, Lofn e Vjofn.

Frigg é a Deusa Mãe pagã (heidnische Mutter-Göttin). Ela é associada com uma variedade de funções: senhora do destino, senhora da roca de fiar, entre outros. Ela é a guardiã de todas as mulheres, especialmente as mães. Além disso, é particularmente popular para as donas de casa, para quem ela também é a deusa da boa manutenção das casas. Como uma grande Deusa Mãe, conduz também a felicidade de todas as famílias, e ela é a deusa do matrimônio.

Frigg Fjörgynsdóttir.

Frigg trouxe aos humanos diversas artes que eram então artesanatos femininos — incluindo tricô, tecelagem e fiação. Ela tece as nuvens as quais ela pode, por vezes, deixar nevar — portanto, também é uma deusa do inverno e sobreviveu como tal em nossos contos de fadas até hoje como Frau Holle. Frigga sabe o Wyrd de todos os homens, mas nunca os revela, nem mesmo a seu filho, Balder, ela revelou o destino trágico que o aguardava.

Frigg_by_chamakoso

O humanos dedicaram a ela outrora os sabugueiros (Holunder) que têm seu nome por causa da Grande Mãe (Holle → Holler / Holunder). Enquanto Freyja é a mulher sensual, Frigga é a esposa, mãe e administradora ideal do lar.

, Frau Holle, Perchta.

10383025_805053462903390_3346966837058509662_n


Fontes:
[1] http://www.etymonline.com/index.php?term=Frigg
[2]