Elder Futhark e Magia Rúnica

Texto por Ravn.
Publicado originalmente em Platinorum.

Retornando à magia rúnica, hoje falaremos do Elder Futhark – o alfabeto rúnico mais popular entre os praticantes contemporâneos. Composto de 24 runas, foi estruturado a partir dos significados dos nomes de cada uma em proto-germânico e do poema anglo-saxão. Esta é uma rápida apresentação das principais propriedades associadas às runas deste alfabeto.

Imagem destacada: série Vikings/History Channel

Sendo o primeiro alfabeto rúnico de que temos notícia, foi usado até por volta de 750 D.C. (ou até a Era Viking). Acredita-se que tenha surgido de uma combinação entre antigos sinais já usados pelos povos germânicos e os alfabetos de povos com que tinham contatos comerciais. Era usado para escrever o idioma proto-germânico, e é importante lembrar que muito pouco restou desta época; a maioria das frases e palavras nessa língua são reconstruídas. Uma vez que o proto-germânico possui sons e regras que mudaram na transição de épocas, para a escrita em nórdico antigo (o idioma da Era Viking, e em que foram registradas originalmente as eddas) o younger futhark seria mais adequado.

Como sistema magístico, o elder futhark se mostra como um dos preferidos dos praticantes atuais; seja por ser o mais antigo, ou pela quantidade de runas que ele oferece trazer também mais facilidade. Como poemas rúnicos referentes diretamente à ele foram perdidos, costumam a embasá-lo no anglo-saxão – que inclui todas as runas do elder futhark, porém com 5 adicionais referentes ao idioma saxão antigo. Embora tenha sido registrado em um período pós-conversão, o poema possui uma mistura de referências cristãs e pagãs (como se referir “ao Senhor” quando fala do divino, porém citando simbologias claramente pagãs); acredita-se que tenha sido modificado de um original antigo para ser aceito pela igreja.

Novamente reforçando, é importante definir bem o alfabeto com que trabalharemos antes de começar uma prática magística; temos não apenas divergências de significados (às vezes sutis, às vezes grandes) como também alguns caracteres que se referem à outro fonema em cada um. Para apresentar os usos magísticos mais comuns para cada runa, usarei a tradução de Márcio Alessandro Moreira para o poema rúnico anglo-saxão e apresentarei seus nomes tanto em proto-germânico quanto saxão; porém, os versos referentes às 5 runas adicionais não encontradas no elder futhark foram omitidos. Também só serão apresentadas as formas proto-germânicas de grafia das runas.

yf_1_fc3a9Fehu [Gado]

Valor fonético: f

Nome anglo-saxão: Feoh [Riqueza]

“A riqueza é um conforto a todos os homens; ainda que cada homem deve aplicá-la livremente, se deseja ganhar a honra na vista do Senhor”

Fehu possui um significado material forte, sendo muitas vezes empregada em trabalhos voltados para a prosperidade. Porém, também é uma runa que puxa energia motora e desperta o movimento; por isso, muitas vezes é usada para dar o “impulso inicial” em um projeto. Sua ligação com o gado faz com que possua ser associada ao deus vane Freyr.

yf_2_c3bar

Uruz [Auroque]

Valor fonético: u

Nome anglo-saxão: Úr [Auroque]

“Os auroques são orgulhosos e têm chifres grandes; é uma besta muito selvagem e combate com seus chifres; um grande ranger dos pântanos; é uma criatura de muita coragem”

O auroque era um tipo antigo de bovino, provavelmente caçado pelos germânicos e associado com ritos de passagem de meninos. Devido à força associada com esse animal, esta runa ganhou uma atribuição de saúde e é muito usada para feitiços de cura. Pela associação com ritos de maioridade, também pode ser usada para catalizar mudanças e evoluções.

yf_3_c3beurs

Þurisaz [Gigante]

Valor fonético: þ/ð

Nome anglo-saxão: Þorn [Espinho]

“O espinho é excepcionalmente afiado, uma coisa má para qualquer cavaleiro tocar, notavelmente severo a tudo o que se senta entre ele”

Embora haja uma diferença notável na associação proto-germânica à anglo-saxã, para ambos os povos esta permanece como uma runa de agressividade. Associada também ao deus Þórr, pode ser usada tanto para o ataque (como o martelo do deus, ou uma tempestade) quanto para defesa (como a associação com os espinhos); além de funcionar como contra-feitiço, rebatendo intenções hostis. Porém, o potencial destrutivo de Þurisaz pode facilmente sair de controle e se voltar contra o magista caso não seja usada com o devido foco e concentração.

yf_4_c3a1ss-e1468965436345

Ansuz [Divindade áss]

Valor fonético: a

Nome anglo-saxão: Os [Boca]

“A boca é a fonte de todos os idiomas, um pilar da sabedoria e de um conforto aos homens sábios, uma benção e uma alegria a cada cavaleiro.”

Em seu nome proto-germânico, a runa se refere ao grupo de divindades que é identificado como “æsir” em nórdico antigo. Esta atribuição à faz ser associada com Óðinn e também à intelectualidade, reforçando a astúcia, facilitando a obtenção de conhecimento e a inspiração artística. Partindo da atribuição do poema anglo-saxão, também é uma runa ligada à comunicação e que pode ser usada para eloquência.

yf_5_reic3b0

Raido [Carruagem]

Valor fonético: r

Nome anglo-saxão: Rad [Viagem]

“A viagem parece fácil a todo guerreiro enquanto estiver no salão, e com muita coragem que ele atravessa as grandes estradas nas costas de um cavalo robusto.”

Em todos os poemas esta runa está ligada ao movimento. Pode ser usada para trazer estabilidade, controlando e ordenando as circunstâncias ao nosso redor para permitir avanço. Também é capaz de mudar o ritmo de acontecimentos, tornado-os mais rápidos (além de acelerar o efeito de outras runas quando associada).

kenaz-174x300

Kenaz [Tocha]

Valor fonético: k

Nome anglo-saxão: Cen [Tocha]

“A tocha é conhecida de todo homem vivo pela sua palidez, flama brilhante; sempre arde onde os príncipes se sentam junto dela.”

Associada com o fogo, é apontada como uma oposta à runa Isa. Por trazer o calor, é capaz de gerar entusiasmo e energia nas pessoas. Assim como uma tocha ilumina caminhos, Kenaz é capaz de trazer estímulo mental e facilitar a compreensão. Além disso, também pode ser útil em rituais que buscam purificação ou afastar influências negativas.

gebo-174x300Gebo [Presente]

Valor fonético: g

Nome anglo-saxão: Gyfu [Generosidade]

“A generosidade traz o crédito e a honra, os quais suportam a dignidade de uma pessoa; fornece a ajuda e subsistência para todos os homens quebrados que são destituído das demais coisas.”

O principal uso atribuído à runa dos presentes é na composição de bandrúnar, onde outras runas são distribuídas em suas pontas. Também pode ser usada como um atrativo de abundância e dos aspectos positivos de outra runa, sendo muito comum em amuletos de sorte. Ainda pode ser vista como uma runa de união, que traz a harmonia em um grupo ou relação.

wunjo-174x300

Wunjo [Alegria]

Valor fonético: w/v

Nome anglo-saxão: Wynn [Alegria]

“A felicidade aprecia aquele que sabe viver sem sofrimento, tristeza ou ansiedade, e tem prosperidade, felicidade e uma casa suficientemente boa.”

Uma runa muito positiva, associada à vitórias. Atratora do sucesso, é capaz de promover alegria e otimismo nas pessoas. Outro uso recorrente é no reforço de uma relação positiva, criando laços de amizade ou gerando ligações empáticas. Alguns apontam que seria uma runa recorrente em amuletos voltados para o amor.

hagalaz-174x300

Hagalaz [Granizo]

Valor fonético: h

Nome anglo-saxão: Hægl [Granizo]

“O granizo é a mais branca das sementes; é girada da abóbada do céu e é lançada entre as rajadas do vento e então derrete na água.”

A chuva de granizo era um evento muito temido antigamente, por causa dos danos que causavam às propriedades e plantações. Por isso, Hagalaz é uma runa que representa fatores externos e fora do nosso controle, porém que diretamente nos afetam – muitas vezes causando rupturas. Magisticamente, pode ser usada para nos adaptarmos melhor à estes fatores ou mesmo para ter algum controle – mesmo que apenas para amenizar seus impactos. Também pode ser usada como uma catalisadora de mudanças.

yf_8_nauc3b0

Naudiz [Necessidade]

Valor fonético: n

Nome anglo-saxão: Nyd [Necessidade]

“A necessidade é opressiva ao coração; porém frequentemente prova uma fonte de ajuda e de salvação às crianças dos homens, e a todos que se cuidam na ocasião.”

Embora seja associada à bloqueios, Naudiz também é associada com fogueiras e outras sinalizações que eram usadas para pedir ajuda. Podemos usar esta runa para obter resiliência em momentos difíceis, além de ajudar a chamar uma ajuda externa para a resolução do problema. Também pode ser usada para remover amarras e impedimentos em nossos caminhos.

yf_9_c3adss

Isa [Gelo]

Valor fonético: i

Nome anglo-saxão: Is [Gelo]

“O gelo é muito frio e extremamente escorregadio; resplandece tão claramente quanto o vidro e mais parece ser pedras preciosas; é um assoalho feito pelo gelo, belo e se ver.”

Esta runa normalmente é colocada em oposição à Kenaz, estabelecendo a relação “Fogo&Gelo”. Enquanto Kenaz é expansiva e quente, Isa é contrativa e fria; podemos usá-la para concentrar energias, conservação ou contração, porém é necessário cuidado nestes processos – o congelamento é capaz de levar à estagnação. Em feitiços de proteção, Isa age criando um isolamento que diminui a influência externa.

jera-174x300

Jera [Ano ou Colheita]

Valor fonético: j

Nome anglo-saxão: Ger [Verão]

“O verão é uma alegria aos homens, quando Deus, o rei santo do Céu, padece a terra para trazer frutas brilhantes para os ricos e para os pobres.”

Jera representa os grandes ciclos das estações, sendo capaz de promover um crescimento próspero – lento, porém contínuo. Sua associação com colheitas também faz com que seja vista como uma runa fertilizadora, que promove a geração de idéias e traz abundância. Ao usá-la, é necessário lembrar que a natureza possui seu próprio ritmo e deve ser respeitado – não é uma runa de ação rápida.

eihwaz-174x300

Eihwaz [Teixo]

Valor fonético: ei

Nome anglo-saxão: Eoh [Teixo]

“O teixo é uma árvore com casca áspera, dura e firme na terra, suportada por suas raízes, uma guardiã da flama e uma alegria em uma propriedade.”

Uma das árvores usadas para representar a própria Yggdrasill, o teixo é uma árvore lembrada por sua resistência e por permanecer verde mesmo no inverno. Esta runa é vista como uma transmutadora, capaz não apenas de promover a perseverança e tenacidade como também de renovar e regenerar. Também é uma runa de proteção, porém apresenta uma agressividade que exige cautela.

peorth-174x300

Perthro [Taça ou Copo para apostas]

Valor fonético: p

Nome anglo-saxão: Peorð [Peça de Xadrez]

“A peça de xadrez é uma fonte da recreação e de grande divertimento, onde os guerreiros se sentam alegremente juntos no salão do banquete.”

Podemos associar Perthro tanto ao acaso quanto à um pensamento estratégico partindo de seus nomes. Costuma a ser vista como uma runa que revela padrões do Urðr, por isso favorece práticas divinatórias ou rituais que visam compreensão e mudanças no padrão do fluxo. Alguns também apontam ser capaz de revelar segredos e fatores ocultos.

yf_14_mac3b0r

Algiz [Proteção]

Valor fonético: -z (finalizando palavras)

Nome anglo-saxão: Eolh-secg [Junco]

“O junco pode ser encontrado em um pântano; cresce na água e faz uma ferida horrível, cobrindo com sangue todo guerreiro que toca-la.”

Outro nome proto-germânico para esta runa é “Elhaz” (“alce“), sendo esta a principal runa de proteção; muitos sigilos contemporâneos voltados para isto a tomam como base. Funciona como uma via de mão dupla; além de fortalecer e proteger o usuário, também agirá rebatendo intenções agressivas.

sowilo-174x300Sowilo [Sol]

Valor fonético: s

Nome anglo-saxão: Sigel [Sol]

“O Sol é sempre uma alegria para os navegadores quando frequentemente viajam sobre o cardume dos peixes, até o curso das terras profundas dos ursos.”

A runa solar, é uma atratora do sucesso e fortalecedora, energizando a mente do usuário. Ela permite ter uma maior clareza e entendimento da situação, encontrando o melhor caminho para prosseguir. Também é usada em processos de purificação e para afastar energias de estagnação.

yf_12_tc3bdr

Tiwaz [deus Týr]

Valor fonético: t

Nome anglo-saxão: Tir [Týr]

“Týr é uma estrela-guia; que mantém a fé com os príncipes; está sempre em seu curso sobre as névoas da noite e nunca falha.”

Uma runa de justiça associada diretamente com Týr, o deus que domou o lobo Fenrir. Irá impregnar o invocador com o espírito do áss, tornando-o corajoso e o impulsionando para a vitória; além de poder ser usada para resolver uma situação onde alguém foi injustiçado. Porém, a índole da divindade jamais pode ser ignorada; Týr é um deus de auto-sacrifício, e corrigirá a conduta de todas as partes envolvidas.

yf_13_bjarkanBerkano [Bétula]

Valor fonético: b

Nome anglo-saxão: Beorc [Bétula]

“A bétula não carrega nenhum fruto; ainda que sem semente traz adiante brotos, que para ela é gerado de suas folhas. Esplêndidas são suas folhas e gloriosamente adornadas e sua coroa elevada alcança aos céus.”

Berkano é associada com concepção e feminilidade, sendo capaz de promover a fertilidade e fornecer nutrição para que algo cresça. Por sua ligação com a árvore de bétula, também é vista como uma harmonizadora que traz uma sensação de acolhimento. Alguns autores apontam que mulheres podem usar esta runa para a saúde de seus corpos e contato com aspectos interiores.

ehwaz-174x300Ehwaz [Cavalo]

Valor fonético: e

Nome anglo-saxão: Eh [Cavalo]

“O cavalo é uma alegria dos príncipes na presença dos guerreiros. Um cavalo no orgulho de seus cascos, quando homens ricos sobre o dorso do cavalo reúnem palavras sobre ele; e é sempre uma fonte do conforto ao impaciente.”

Outra runa associada com rapidez, sendo usada para remoção de obstáculos e facilitar mudanças. Alguns gostam de associá-la a Sleipnir, o cavalo de Óðinn, e por isso usam Ehwaz como uma facilitadora de projeção astral. Por causa da ligação cavalo-cavaleiro, muitos a consideram uma runa de conciliação.

mannaz-174x300

Mannaz [Homem]

Valor fonético: m

Nome anglo-saxão: Mann [Homem]

“O homem alegre é querido por seus parentes; ainda cada homem é julgado ao falhar com seu companheiro, desde que o Senhor por seu decreto cometerá uma destruição desprezível á terra.”

Mannaz se refere ao “homem” no sentido de “humanidade”. É usada para promover a harmonia e ligação entre grupos, estabelecendo o trabalho em equipe e fazendo-os atuar como uma irmandade. Ela também pode equilibrar a nossa personalidade para ficarmos mais sociáveis, ou ser usada para conseguir ajuda externa.

yf_15_lc3b6grLaguz [Água]

Valor fonético: l

Nome anglo-saxão: Lagu [Oceano]

“O oceano parece interminável para os homens, quando arriscam aventurar-se no barco e as ondas do terrível mar e o curso do cuidado intenso não tem rédeas.”

A simbologia de água e oceano de Laguz cria uma ligação entre esta runa e nosso subconsciente, sendo uma runa introspectiva que pode melhorar nossa compreensão interior e intuição. Também pode ser usada para acalmar nossas emoções. Muitos apontam que esta runa possui uma propriedade capaz de ampliar o magnetismo pessoal.

ingwaz-174x300

Ingwaz [o herói Yngvi]

Valor fonético: ng

Nome anglo-saxão: Ing [Yngvi]

“Ing foi primeiro visto pelos homens entre os Dinamarqueses do Leste, até que, seguido por seu carro, ele partiu ao oriente sobre as ondas. Então os Heardingas nomeou o herói.”

Yngvi é um herói da Yngling Saga, o fundador da dinastia Yngling, muitas vezes associado com o deus vane Freyr. É outra runa de fertilidade, capaz de conter em si energias que serão liberadas posteriormente. Por causa disso, alguns gostam de usar o seu traçado como perímetro magicamente isolado, para deixar em seu centro amuletos em processo de ativação ou objetos para consagração por exemplo. Também é usada para ter foco e centralizar o pensamento.

othala-174x300

Othala [Propriedade]

Valor fonético: o

Nome anglo-saxão: Eþel [Propriedade]

“Uma propriedade é muito querida por todo homem, se ele puder apreciá-la em sua casa tudo o que é direito e apropriado na constante prosperidade.”

Enquanto Fehu pode ser vista como a energia potencial e liberada para um objetivo, Othala pode ser vista como este objetivo concretizado ou o retorno que ele trouxe. É uma runa de prosperidade, porém voltada para empreendimentos duradouros. Por causa disso, também era usada para a proteção de lares e propriedades. Pode ser associada com os ancestrais, e por isso ajudar na reconexão com eles.

dagaz-174x300

Dagaz [Dia]

Valor fonético: d

Nome anglo-saxão: Dæg [Dia]

“O dia é a luz gloriosa do criador, é enviada pelo Senhor; é amado pelos homens, uma fonte da esperança e da felicidade ao rico e ao pobre, e serve para todos.”

A runa do dia promove uma plena conclusão. Tal qual a noite termina e vem o amanhecer, pode ser usada para fechar ciclos e superar dificuldades. Também é vista como uma canalizadora de inspiração, com potencial para promover transformações e ampliar a percepção sutil de seu usuário.

Este é um pequeno resumo com algumas propriedades do Elder Futhark; pode ser usado como um ponto de partida para estudos práticos. Para quem quiser se aprofundar no uso magístico, este é o alfabeto com mais bibliografia disponível – porém praticamente nada em português; recomendo Futhark (de Edred Thorsson) e Teutonic Magic (de Kveldulf Gundarsson), ambos apresentando sistemas ligeiramente diferentes baseados no Elder Futhark de acordo com a visão de cada autor. Aos que procuram sobre o uso oracular, temos em português o livro O Oráculo Sagrado das Runas, também de Edred Thorsson.

Para prosseguirem com os estudos, lembre-se de se manterem alinhados com a visão de mundo e as práticas pagãs além de buscarem se aproximar dos aspectos de mago de Óðinn. Tenham sempre em mente os preços que a magia exige, e sigam com cautela. E não deixem de estudar os outros alfabetos rúnicos, para ampliar suas possibilidades.

“Então eu comecei a entender/e fiquei sábio/e cresci e prosperei muito bem,/minhas palavras a partir de palavras/e palavras encontrei,/minhas proezas a partir de proezas/e proezas encontrei.” – Hávamál (“Palavras do Altíssimo”), stanza 144; trad.Elton Medeiros

Sjáumst bráðlega!