“O hearth [lar/lareira] é, se olharmos na prática, a menor unidade da Heathenry. É realmente a menor unidade da maioria das práticas politeístas nativas, mas particularmente desenvolvida no contexto indo-europeu (porque culturas indo-europeias são geralmente todas adoradoras do fogo, e o fogo era o objeto primário de relevância sagrada no hearth. É uma continuação natural de práticas mais arcaicas, e foi gradualmente substituído por ídolos e estátuas, mas ele foi utilizado tanto como uma entidade divina quanto como um veículo para a divindade). O conceito do innangeard-utangeard é fundado no hearth de uma determinada pessoa — todos dentro da unidade do lar, estendendo-se então para fora a sua família, e então seu povo e a comunidade mais ampla.

“É importante pois o hearth é o único domínio da identidade politeísta que não requer um sacerdócio formalizado. Tradicionalmente, esse papel teria sido preenchido pelo chefe da família, mas com o número limitado de pessoas envolvidas no culto doméstico e na identidade tradicional politeísta, eu estendo isso como sendo qualquer pessoa dentro da casa que está disposto a assumir o papel. Eu também argumento que o papel do líder de culto doméstico / sacerdote familiar / intercessor / ou como você quiser chamar é tanto um privilégio quanto uma obrigação fundamental de qualquer prática religiosa politeísta. Vocês estão mantendo os deuses tutelares de sua casa (as divindades intercessoras e deuses domésticos [cofgods] na Heathenry), seus mortos ancestrais (o que inclui alimentá-los e deixá-los saber que eles ainda têm um lugar em sua casa), e outras obrigações que você tem em ordem para manter a vida religiosa saudável e espiritualidade de funcionamento do lar.

“A casa também é uma imago mundi [imagem do mundo]. Ela, juntamente com um grande número de outras construções, são feitas como uma reflexão ou uma imagem do universo e da composição cosmológica. Ao fazê-lo e através do processo de construção ou religiosa santificação, o homem se envolve com o sagrado dentro do conforto e segurança de sua própria casa.

“Eu também considero que um culto saudável ao hearth é um elemento fundamental para construir uma estrutura comunitária saudável, uma comunidade sendo construída de um conjunto de hearths e de práticas de hearth.

“O culto doméstico não é realmente muito falado por <razões>, principalmente porque nenhum dos cultos domésticos seria o mesmo. Cada um é tão diferente quanto os próprios hearths, têm diferentes deuses familiares, diferentes objetivos, diferentes forças que exercem autoridade sobre a esfera sagrada. Também estamos construindo práticas de hearth com menos do que muito pouco em documentação e recursos. Sobretudo, como disse Eliade, existimos num estado de desacralização em nossas comunidades coletivas por causa de nossas experiências em um mundo industrial e modernizado. Perdemos de vista a importância da casa na esfera religiosa, quando ela deveria ser nossa primeira prioridade”.

Por UsurpedLettuce, no reddit.

Textos do Sunnôniz Fulka Herthaz

Ættarbók: Introdução ao Culto Doméstico

Sunnōniz Fulka Herþaz: Um lar Heathen