Ask e Embla

4

“De onde viemos?” Esta pergunta o humano sempre fez em todos os povos. Mesmo nos antigos germanos, que tiveram uma relação muito estreita com os seus antepassados, as crianças faziam, quando todos se sentavam confortavelmente à noite perto fogo, esta pergunta. E os adultos lhes contavam então essa história da origem do homem:

Esta lenda remonta muito mais longe do que um germano jamais poderia ter imaginado. Seu início encontra-se em um mítico tempo primitivo, que está escondido na densa neblina do passado.
Naquela época, a face da Terra era bem diferente. Ela era jovem e fresca, durante todo o ano verde e cheio de vida. Era continuamente quente e o solo era fértil. Era o primeiro dia após os poderosos deuses terem criado nossa Terra. Isolado da Utgard dura e inóspita, localizava-se a nossa terra Midgard pacífica e verdejante no centro do mundo.
Referiam-se a este tempo como “idade de ouro”. O tempo primordial, em que nasceram os deuses e gigantes, no qual matou-se a criatura primordial Ymir e dele criou-se a terra, e ele foi finalmente transformado em passado no mundo.

Os deuses desfrutaram desta calma e aproveitaram este dia para admirar seu trabalho. A partir de seu lugar no céu, Asgard, desciam cavalgando para Midgard e descansavam nas florestas exóticas, prados e litorais.
Três dos deuses tinham caminho comum. Um era o mais velho Odin, outro o taciturno Höner, e o terceiro foi Lodur a partir do qual diz algumas pessoas, que tratava-se de Loki, o irmão de sangue de Odin. Estes três deuses gostavam de estar sempre juntos e pelos mesmo lugares, silenciosamente observando a criação e aconselhando-se sobre ela.
Em um dia ensolarado e proveitoso quando algo especial estava no ar, chegaram os três deuses a uma margem de rio. Onde ele encontrava-se, isso hoje ninguém mais sabe de tão longe que teria que se retornar a esse acontecimento. Alguns dizem que eles estavam nas margens do poderoso oceano do mundo, enquanto outros pensam que é nas margens místicas da fonte de uma lagoa que estava em algum lugar nas montanhas. Ao certo, ninguém sabe apesar disso … de qualquer maneira os deuses encontraram dois troncos velhos que estavam nas margens. Talvez eles teriam sido moldados pela corrente? Uma era de freixo, o outro foi um olmo. Nenhuma sorte ou azar caiu sobre esses simples troncos, e nenhum destino foi-lhes atribuído. Eles apenas jaziam ali em margens úmidas cerca de metade nas águas frias, mas os deuses consultaram-se e lançaram sua decisão:

Eles colocaram os troncos lá na margem. Depois chegou o velho Odin até aquela madeira morta, bem pertinho, e soprou-lhe o ar da vida sagrada. Então ele deu um passo atrás, e o calado Höner aproximou-se dos troncos agora vivos – ele também foi bem pertinho e soprou-lhes as habilidades para usar os sentidos, para pensar e acreditar. Então Lodur soprou nos troncos a emoção e a humanidade, deu-lhes a cor que também tinham os deuses e deu-lhes a capacidade de mover-se de forma independente.
Odin tinha dado o espírito vivo, Honer tinha dado o entendimento correto, e Lodur havia dado o fogo interior.

Esta foi a criação dos primeiros seres humanos. De um tronco de freixo um grande e poderoso ente foi criado. Era imponente e ríspido, e foi o primeiro homem: ASK.
A partir da madeira do olmo uma criatura menor e mais delicada foi criada. Era suave e graciosa e capaz de proporcionar o dom de nova vida. Foi a primeira mulher: EMBLA.
Ergueram-se ambos então, nús na praia. A eles foi determinado cuidar uns dos outros e viver uns com os outros e, assim, estabelecer uma nova linhagem nos nove mundos: os humanos. Enquanto que eles não devem ser maiores ou mais poderosos seres, mas muito criativo e inovadores. O humano foi destinado a administrar e povoar a fértil terra de Midgard, e alguns os deuses queriam escolher para lutar no Ragnarok ao seu lado mesmo – há muito os Asen já tinham premeditado isso.

E assim eles deram a Ask e Embla ainda simples roupas e os deixaram sozinhos em Midgard novamente (ainda que os deuses nunca tenham deixado os humanos completamente sozinhos!), onde os dois estavam celebrando suas vidas. Em um íntimo sentimento de unidade, em próspera paz. Seus filhos e netos eram um povo pacífico, sábio. Esta sociedade primitiva, ela não conhecia classes, guerras, dinheiro ou injustiças. O líder era aquele que fosse o mais adequado, e não quem poderia pagar mais. E marido e mulher, eles eram claramente diferentes, mas ninguém foi menos valoroso do que o outro … esta é a lenda da origem da batalha entre os homens.

Isso significa que, fomos todos entalhados do mesmo tronco, e todas as pessoas são irmãos e irmãs. Confiamos nós todos em nossos ancestrais comuns, Ask e Embla, e o legado divino que encontra-se em todos nós.
Nos tempos pagãos germânicos tinham-se ídolos, também representações dos deuses e ancestrais, criados a partir de madeira e erigido em memória de onde as raízes do homem encontram-se: Nas árvores, na floresta.