Landvættir (espíritos da terra), Tomte, Nisse, Huldufólk

Postado originalmente em Heiðnibók.
Tradução por Sonne Heljarskinn

Landvættir (“espíritos [wights] da terra”) são espíritos [spirits] da terra no paganismo nórdicos e germânico. Eles protegem e promovem o florescimento dos locais específicos onde vivem, o que pode ser tão pequeno como uma rocha ou um canto de um campo, ou tão grande como uma seção de um país. Continuar a ler

A morte e depois dela, II: culto ancestral

Por Andreia Marques,

Publicado originalmente em Heathen Brasil.

Nós veneramos os mortos, aqueles que vieram antes de nós.

Mas não é todo e qualquer morto que faz parte deste rito. São aqueles que tem razão e interesse em preocupar-se conosco — nós, humanos, nas mais diversas culturas, desde as ameríndias à japonesa, temos por costume venerar nossos ancestrais. Não necessariamente como deuses — embora em algumas culturas (como na China pré-dinástica, e em algumas outras culturas asiáticas), absolutamente como deuses. Ou, se não deuses, como seres bastante próximos deles. Continuar a ler

Entendendo o Pós-Vida e o Espírito dos Nórdicos e Germânicos

Por Sonne Heljarskinn

Na imagem em destaque, vemos uma representação de como os mortos eram comumente enterrados entre os germânicos.

Vou tentar ser breve. Breve não, brevíssimo, porque esse assunto dá um livro facilmente. Aviso inicial: se você está há pouco tempo no paganismo nórdico ou germânico em geral (do qual o nórdico é só uma parte) você pode talvez não entender este texto de cara. Talvez você precise de algum tempo e se familiarizar com algumas ideias que raramente são vistas à nossa volta, mesmo no meio pagão. Vou tentar fazer ele fornecer, resumidamente, tudo o que você precisa saber para entender a noção de pós-vida pagã, mas talvez não seja o suficiente em uma ou duas leituras. Lembrando que isso aqui não é verdade absoluta, só o ponto onde meus estudos chegaram até o momento, e aceito todas as contribuições possíveis.

Continuar a ler

My grandfathers; my heroes.

A rather sentimental and slightly personal piece on ancestral veneration and pride in modern times.
By Einar Valur Bjarnason Maack, skáld at Hvergelmir International
A large part of the Heathen worldview and faith is that of loving where you come from. Ancestral veneration. Appreciation of your roots and the people whom have affected your life.

Continuar a ler