Infinitas Direções: Para onde vamos daqui?

Por Ceadda Þunoring.
Postado originalmente em inglês em Þunresfolc Heorþ.
Tradução de Sonne Heljarskinn e Raendel.

Quando você gasta tempo aprendendo, debruçado sobre livros, conversando com pessoas diversas que têm muitas abordagens diferentes sobre como as coisas são feitas, e você começa a perceber que há um monte de respostas para as mesmas perguntas. Afinal, se você fizer a dez heathens [pagãos] uma pergunta, esteja preparado para doze respostas. Houve um tempo em que eu negava esse fato. Afinal, eu só queria respostas claras e concisas. Você faz isso, por causa disso. Simples. Fácil. Continuar a ler

Sem lugar para racistas no Valhalla

islamistisk_framtidsvisjon1_large-kopi

Original em inglês por Bjørn Andreas Bull-Hansen.
Tradução: Sonne Heljarskinn

Recentemente, vi um post no Twitter que dizia algo como “Sem negros no Valhalla”. Embora seja fácil sentir pena de pessoas que são ignorantes o suficiente para escrever algo assim, eu também fiquei chateado. Eu sei, há idiotas e haters em todos os lugares, mas a mitologia nórdica está perto do meu coração. Dizer que Valhalla é de alguma forma reservado para pessoas com uma cor de pele específica é para mim igualmente insultante como seria para um cristão se alguém entrasse na igreja local e urinasse sobre a figura de Jesus na cruz. Continuar a ler

O legado do Seiðr: história, experiências e o caminho à frente

© 2013 Annette Høst and A Journal of Contemporary Shamanism
Traduzido por Sonne Heljarskinn, com permissão da autora

Extraído do site Scandinavian Center for Shamanic Studies (http://www.shamanism.dk/legacyofseidr.htm). Translation with no commercial purposes.


seidr

Durante os últimos 25 anos, a velha tradição xamânica nórdica chamada seiðr tem experimentado um renascimento internacional. Diferentes grupos xamânicos e pagãos, bem como indivíduos, têm vindo a explorar este património experimentalmente. Neste artigo, a professora xamânica Annette Høst examina o seiðr tradicional, bem como o  novo seiðr perguntando: O que aprendemos sobre o velho e o novo seiðr? O que é preciso para fazer um seiðr seguramente claro, respeitando a tradição? E, olhando para frente, quais as possibilidades e os desafios que ele oferece para a prática xamânica de hoje e amanhã. Continuar a ler

Óðinn — ou Papai do céu e o mundo de lesões corporais graves

11825581_1015331871851471_7221553044032774845_n.jpg

Link do post original [inglês]
Escrito por Einar V. Bj. Maack [skald do Hvergelmir International]
Tradução por Sonne Heljarskinn e Raendel

Uma especulação sobre a má formação de uma divindade.

Óðinn é um deus popular entre pagãos e pessoas que aderem à cultura ou religião germânicas. Continuar a ler

Wyrd & Orlög – O Destino na Concepção Nórdica

Texto por Ravn.
Publicado originalmente em Platinorum.

Prostradas na Fonte de Urðr, onde se fincam as raízes da Yggdrasill, estão as três Nornir (singular: Norn) – deusas fiandeiras, regulando e servindo forças tão grandes e absolutas que os próprios deuses estão submetidos à elas. Para os Nórdicos, o Destino era visto de uma forma um tanto diferente da visão que o ocidente está acostumado hoje; ao compreendê-lo, percebemos a forma que os pagãos se relacionam com seus próprios atos e lidam com conseqüências. Continuar a ler

Uma viagem ao Hel

14947392_1332375726813749_6901739188376850072_nPor Lēoht Steren, Þyle do Hvergelmir International

Postado originalmente, em inglês, na página do Hvergelmir no facebook

Tradução por Sonne Heljarskinn

 

Muitas pessoas cometeram o erro de pensar que Valhalla (Valhöll – “Salão dos mortos em batalha” – em Nórdico Antigo) é uma espécie de “Paraíso Heathen”, com Odin como uma figura paterna benevolente para aqueles que chegam à sua porta. Isto está longe do que podemos identificar na tradição existente e, para tentar mudar as percepções, oferecemos uma história curta de alguém que não acaba na casa dos Einherjar (nem, de fato, deveríamos querê-los!) : Continuar a ler

Yggdrasil – Os Nove Mundos da Tradição Nórdica

Texto por Ravn
Publicado originalmente em Platinorum.

Parte I

A Tradição Nórdica interpreta o Universo na forma da “Árvore do Mundo”, com os Mundos da existência dispostos em seu tronco, raízes e galhos; chamada de “Yggdrasill”, seu nome significa “Cavalo de Ygg” – uma referência ao deus Óðinn (que possui muitos nomes, sendo “Ygg” um deles) e sua autoimolação na Árvore, obtendo o conhecimento das runas e da magia no processo. Em nossa exploração da Magia Nórdica, começaremos entendo sua cosmogonia tanto do ponto de vista da mitologia quanto magístico. Continuar a ler